Produtos

PERFIL DE RISCO DO INVESTIDOR CONSERVADOR: É um investidor que possui a segurança como ponto decisivo para as suas aplicações, assumindo os menores riscos possíveis, em razão da sua baixa tolerância ao risco, não suporta a volatilidade dos mercados de renda variável, sempre objetiva a preservação de seu patrimônio através de investimentos sólidos e que buscam retorno a médio e longo prazos. Os investimentos mais adequados para este tipo de investidor são:
 

  • TÍTULOS PÚBLICOS

São títulos emitidos pelo Governo Federal, podendo ser do Tesouro Nacional ou do Banco Central do Brasil, são investimentos de renda fixa onde o investidor pode escolher aplicar nos ativos financeiros gerados pelo Governo ao invés de adquirir títulos de bancos ou financeiras.
O risco desse investimento quase não existe, já que o governo garante o seu pagamento, não possuem carência (período exigido para manter o investimento) podem ter remuneração semestral ou apenas no final da operação (vencimento), possuem rentabilidades pré-fixadas, pós-fixadas ou híbridas.

  1. LFT - Letra Financeira do Tesouro
  2. NTN-B - Nota do Tesouro Nacional B

 

  • TÍTULOS PRIVADOS

São títulos de emissão de instituições privadas com o objetivo de captar recursos para o seu negócio, cuja rentabilidade pode ser pré-fixada, um valor fixo definido na emissão, ou pós-fixada, definida por um indexador de mercado.

 

  • RENDA FIXA

O investimento classificado como de renda fixa refere-se ao tipo de investimento onde já se sabe o retorno real total do investimento. Um investimento com rentabilidade determinada permite ao investidor uma avaliação do seu valor total.
 

PERFIL DE RISCO DO INVESTIDOR MODERADO: Os riscos ao se investir em operações compromissadas são baixos, visto que o título negociado é a própria garantia do investimento. Um investimento adequado para este tipo de investidor é:

 

  • OPERAÇÕES COMPROMISSADAS

O Vendedor obriga-se a, na Data da Contratação, vender, bem assim, a efetuar a transferência dos Títulos da Operação Compromissada ao Comprador, ou a quem este indicar, mediante o pagamento do preço acordado da compra (“Preço da Compra”), comprometendo-se o Vendedor a recomprar os ditos Títulos, mediante o pagamento pelo Vendedor do preço da recompra definido entre as Partes como sendo: (I) o “Preço de Recompra”, se for respeitada a data do vencimento do título (“Data do Vencimento”); ou, (II) o “Preço de Recompra com Desconto”, se houver a solicitação de resgate antecipado (“Data do Resgate”), devendo ser utilizado para o cálculo do valor devido a fórmula de cálculo definida na Confirmação.
 

PERFIL DE RISCO DO INVESTIDOR ARROJADO: Considerado na denominação correta de agressivos, devido ao alto risco e a natureza volátil, investir nestes produtos requer preparo técnico e disponibilidade para acompanhar de perto o cenário econômico local e global, lidar com as emoções nos frequentes momentos de crise. Os investimentos mais adequados para este tipo de investidor são:
 

  • OPERAÇÕES EM BOLSA – BM&FBOVESPA

A Bolsa oferece ampla gama de produtos e serviços, tais como: negociação de ações, títulos de renda fixa, câmbio pronto e contratos derivativos referenciados em ações, ativos financeiros, índices, taxas, mercadorias, moedas, entre outros; listagem de empresas e outros emissores de valores mobiliários; depositária de ativos; empréstimo de títulos; e licença de softwares.

As negociações são cursadas em meio exclusivamente eletrônico, a realização de operações destinadas à compra e venda de ações, transferência de riscos de mercado (hedge), arbitragem de preços entre mercados e/ou ativos, diversificação e alocação de investimentos e alavancagem de posições.

 

  • AÇÕES

As Ações são títulos de propriedade emitidos diretamente pela empresa para o mercado de capitais. Quem possui uma ação, possui uma parte da empresa, acumulando assim direitos como qualquer outro sócio, a saber: direito a parte do lucro e direito a decidir o futuro da empresa através de assembleias de acionistas.

Uma ação é a menor parcela de capital social da empresa formada por ações. O dono de uma ação é sócio da empresa da qual possui ações, sendo que seu direito e controle sobre a empresa é proporcional à quantidade de ações que ele possui em relação à quantidade total de ações que compõe o capital social da empresa.

O valor da ação sobe quanto mais os investidores aumentam seu otimismo em relação ao futuro da empresa. Uma ação se desvaloriza quando os investidores esperam que o futuro daquela empresa seja pior. O valor da ação cai quanto mais os investidores aumentam seu pessimismo em relação ao futuro da empresa.

 

  • MERCADO FUTURO

Mercado no qual são realizadas operações, envolvendo lotes padronizados de commodities ou ativos financeiros, para liquidação em datas pré-fixadas.

 

  • MERCADO À VISTA

É a compra ou venda de uma determinada quantidade de ações. Quando há a realização do negócio, o comprador realiza o pagamento e o vendedor entrega as ações objeto da transação, no terceiro dia útil após a realização do negócio (D+3).

 

  • MERCADO À TERMO

São as operações em que as partes assumem compromisso de compra e venda de quantidade e qualidade determinadas de um ativo dito real (mercadoria), o comprador do termo leva o contrato até o final do prazo contratado, paga pelo ativo objeto do contrato e quer recebê-lo; o vendedor quer levar o contrato até o final, quer entregar o ativo objeto e receber o correspondente pagamento.

 

  • MERCADO DE OPÇÕES

Negocia-se o direito de comprar ou de vender um bem por um preço fixo numa data futura. Quem adquirir o direito deve pagar um prêmio ao vendedor. Este prêmio não é o preço do bem, mas apenas um valor pago para ter a opção (possibilidade) de comprar ou vender o referido bem em uma data futura por um preço previamente acordado.

O objeto de negociação pode ser um ativo financeiro ou uma mercadoria, negociados em pregão, com ampla transparência. O comprador da opção, também chamado titular, sempre terá o direito do exercício, mas não obrigação de exercê-lo. O vendedor da opção, também chamado lançador, terá a obrigação de atender ao exercício caso o titular opte por exercer seu direito.

Preço de exercício: É o preço que a titular paga (ou recebe) pelo bem em caso de exercício da opção.  Prêmio: É o valor pago pelo titular (e recebido pelo lançador) para adquirir o direito de comprar ou vender o ativo pelo preço de exercício em data futura.
 

OPERAÇÕES DE COMMODITIES

As Commodities são uma forma de investimento, uma opção entre as tantas opções de investimento no mercado, como poupança ou Fundos de Investimento, no Segmento BM&F. No mercado futuro de commodities, é a diferença de preço entre os meses de vencimento de um contrato. No mercado de renda fixa, a diferença entre os rendimentos de valores mobiliários da mesma qualidade, mas com diferentes vencimentos. No mercado de câmbio, dentro da terminologia de arbitragem, é uma diferença maior que a normal nas taxas de câmbio entre dois mercados.

Para esse tipo de investimento, não há como definir um perfil de investidor por ser especulativo, isto por que é reconhecido pela sua volatilidade, ocasionada por uma série de fatores, que incluem, inclusive, condições climáticas que podem afetar a produção das Commodities. É aceito por investidores que já possuem experiência com o mercado de derivativos, inclusive, quanto a sua diversificação.

FUNDOS DE INVESTIMENTOS

Os Fundos de Investimentos são como condomínios que reúnem recursos de um grupo de investidores, pessoas físicas ou jurídicas, para aplicar no mercado financeiro.
 

PERFIL DE RISCO DO INVESTIDOR ARROJADO: Ao investir em um Fundo de Investimento, deve estar ciente que existe a possibilidade de perdas, inclusive, o montante total investido.
 

  • GESTÃO DE CARTEIRAS ADMINISTRADAS

Um serviço de gestão de investimentos no qual, o investidor contrata um Gestor para cuidar especificamente dos seus recursos, desde a estratégia de alocação até o rebalanceamento, passando pela escolha, compra e venda de cada ativo que compõe a carteira.

 

  • ADMINISTRAÇÃO E CUSTÓDIA DE FUNDOS DE INVESTIMENTOS

A administração de carteiras de valores mobiliários é o exercício profissional de atividades relacionadas, direta ou indiretamente, ao funcionamento, à manutenção e à gestão de uma carteira de valores mobiliários, incluindo a aplicação de recursos financeiros no mercado de valores mobiliários por conta do investidor.

 

  • COORDENAÇÃO E/OU DISTRIBUIÇÃO DE TÍTULOS PRIVADOS NO MERCADO PRIMÁRIO E SECUNDÁRIO

O mercado primário é aquele em os valores mobiliários de uma nova emissão da companhia são negociados diretamente entre a companhia e os investidores. Os recursos são destinados para os projetos de investimento da empresa ou para o caixa.

Entretanto, alguns desses valores mobiliários, como as ações, representam frações patrimoniais da companhia e, dessa forma, não são resgatáveis em data pré-definida e podem ter prazos de vencimento muito longo.

O mercado secundário é o local onde os investidores negociam e transferem entre si os valores mobiliários emitidos pelas companhias. Nesse mercado ocorre apenas a transferência de propriedade e de recursos entre investidores.


*A rentabilidade está sempre diretamente relacionada ao risco. Cabe ao investidor definir o nível de risco que está disposto a correr em função de obter maior ou menor lucratividade.

Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais